Domingo, 6 de Setembro de 2009

10º Cap. – Desculpa

Ouh, voltei :D

Desculpem a demora :s

tive de férias e agora não conseguia entrar aqui para postar um novo capitulo --'

É pequenino >.<

Mas tem muita coisinha :)

Obrigada a quem se dá ao trabalho de vir aqui!

 

10º Cap. – Desculpa


- O que se passa Liam? Estás com uma cara estranhamente seria. – Reparei que ele tinha uma senha na mão e estava a brincar com a ponta dela. – Ahh, ok… - Comecei a corar sem dar conta disso.

- Não é nada disso. Isto é só para o teatro. – Aproximou-se de mim, a tentar tocar-me com os seus lábios. Ajudei um pouco inclinando-me também.

Os nossos lábios tocaram-se ao de leve e uma corrente eléctrica percorreu o meu corpo.

Senti os seus lábios a dançarem sobre os meus e dei por mim a imaginar os seus braços à volta do meu corpo, a ser puxada para mais perto do peito dele e sentir a sua mão no meu queixo e a desenhar formas na minha bochecha corada, a inclinar-se para mim e a sentir a sua respiração na minha boca. A aproximar-se mais…

Afastei-me daquele pensamento e dos seus lábios quentes.

- Des-desculpa – disse quando vi a reacção dele – Mas afinal do que queres falar?

-LARGA-ME SEU ANIMAL – ouviu-se gritar do outro lado do campo.

Todas as atenções viraram-se para aquela voz e Liam saiu a correr ao encontro da sua irmã.

Imitei-o, correndo atrás de si. Vi o Mike a agarrar a Emma com força e a raiva tomou conta do meu corpo.

Ultrapassei o Liam e ajudei a Emma a soltar-se, correu para trás de mim. Apanhei o Mike distraído com a fuga e aproveitei para lhe dar um estalo.

- MEL?? – Gritou ele agarrado à cara. – O que estás a fazer?

Liam chegou a tempo de impedir a minha mão de se dirigir à Cara de Mike mais uma vez.

Fiquei a olha estupefacta para a cara de Liam. – Desculpa, não era para ti. – Respondi quando me apercebi que tinha falhado o alvo.

Senti uma mão forte a puxar-me para trás e vi o Kellan a meter-se no meio dos rapazes. – Acabas sempre por arranjar problemas puto. – Responde ele ao Mike a segurar-lhe no colarinho da t-shirt azul. – Vai para casa e vê se tens coragem para contar isto ao teu mano.

Nunca tinha visto o Mike tão assustado. Saiu dali a correr e quando olhava em meu redor, já todas as pessoas estavam nas suas actividades menos a minha Mãe e o Billy, que nos observavam com cara de quem está a preparar um raspanete.

Voltei a olhar para o Liam e vi um pequeno corte, feito pelo meu anel. Peguei na mão dele que rapidamente tremeu com o susto.

- Desculpa, a serio. Foi sem querer. Anda por gelo, estás a sangrar. – Disse passando os dedos ao de leve por cima da ferida.

- É só sangue, não vou morrer por isso. – Disse ele livrando-se da minha mão.

Virou-me para a mesa da esplanada e foi ao encontro do Billy.

- LIAM – Gritei em tom suplicante.

- Não foste tu Mel, deixa-o arrefecer. – Sussurrou o Kellan ao meu ouvido, enquanto me agarrava pelas costas. – Deixa-o ir.

sinto-me: Cansada
música: Signed, Sealed, Delivered I'm Yours - Angie Stone
publicado por in's às 15:13
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sexta-feira, 7 de Agosto de 2009

9º Cap. – Plano infalível

 

9º Cap. – Plano infalível
Por Liam Aiken
 
 
                        - Adeus. – Disse enquanto a observada a dirigir-se para ao pé de umas crianças, que brincavam alegremente num monte de areia, com o seu andar dançante.
                Era espantosa a sua beleza, tanto de vestido como de calças de fato de treino.
                Os seus cabelos loiros brilhavam à luz do sol e os olhos azuis pareciam mais claros, como a água limpa do mar.
                 O seu vestido vermelho movia-se em sintonia com o seu corpo ondulado.
                - É pena ser tão nova, não achas? – A Emma reparou que estava a observa-la.
                - Desde quando é que a idade impede de alguma coisa? – Não reparei no que tinha dito. – Não tires conclusões, não era bem isso que queria dizer quando me referi… - Estava bastante atrapalhado.
                A Emma começou-se a rir do meu estado e apressou-se a falar:
                - Tem calma maninho, eu não lhe digo nada. Mas vê-se à distância que algo se passa entre vocês…    Eu reparei na cara dela quando vocês estavam de mãos dadas à entrada.
                - Humm, quando vamos embora? As férias começaram ainda esta semana… - ficava triste só de pensar que teria de partir. Não gostava da ideia de deixar a Mel sozinha depois de ver o seu ex-namorado. – Achas que a mãe e o pai nos deixam ficar aqui na casa da Florida e acabar aqui a escola? Eu este ano ainda não tive aulas.
 
 
A Melanie estava agora a ir para a banca. Passou por mim e sorrio-me com os olhos a brilhar. Não tive tempo de lhe retribuir o sorriso.
Atrás dela, iam umas crianças todas felizes, a saltitar, enquanto cantavam.
 
Era uma velha-lha,
Matou um gato-to,
Com a sola-la
Do seu sapato-to.
Podre velha-lha,
Podre gato-to,
Pobre sola-la,
Do seu sapato-to.
 
                - A Mel faz amigos com muita facilidade. – Disse a Emma enquanto olhava para as crianças. – Ela tem qualquer coisa que encanta as pessoas.
                - A quem o dizes. – E comecei-me a rir.
                Sentou-se na cadeira e foi beijando as testas das crianças e dando uma guloseima a cada.
                Mais uma coisa a apontar sobre ela, era querida para as crianças.
                É sempre uma coisa boa.
                - Bem, vou andando. Se precisares de mim, sabes onde me encontrar.
                - Emma, espera. Faz-me um favor. Arranja maneira de saíres uns minutos, se faz favor…
                Precisava mesmo de falar com ela. Antes de baile de preferência.
 
***
Por Melanie
 
Sentei-me na cadeira com um saco do lado direito e com a caixa do outro lado. Cinco crianças aproximaram-se com senhas da minha cadeira. Dei um beijo na testa de cada uma delas e dei um chupa-chupa que tirei do saco. Elas correram felizes para ao pé dos outros meninos com quem estavam a brincar e a partir dai várias crianças foram-se aproximando.
- Desculpa lá, mas isso não vale para a aposta! – Refilou a Cloe.
- Não disseste que tipo de beijos ou que tipo de pessoas eram. – Contrapus.
- Voltei. – Anunciou a Emma, a interromper o inicio de uma discussão. – Bela maneira de angariares senhas.
- Também pensei e coitadas das crianças, nesta feira só podem brincar num monte de areia ou serem arrastadas pelos pais de banca em banca. – Dei-lhe a caixa das senhas para ela poder fazer o seu trabalho. – Faz-me um favor, vais buscar mais chupa-chupas ou coisas do género? Os meus já estão a acabar.
- É claro – e esboçou um sorriso – digo que é para a banca ou tenho de dar senhas?
- Diz que é para a banca, elas dispensam alguns para aqui. – Apontei para uma banca cor-de-rosa com chupa-chupas colados num letreiro que dizia “O que é doce, nunca amargou”.
 Via a afastar-se para o outro lado do campo de futebol e reparei que Mike estava a correr em direcção dela e agarrou-lhe no braço.
Preparei-me para ir ter com ela mas algo me empurrou para baixo pelos ombros.
- Mel, tem calma, ela fica bem.
Era Liam, com a sua voz calma. Acabei por ceder, sentei-me no banco e ele sentou-se no banco à minha frente.
Estava com uma cara muito seria, seria demais.
- Precisamos de falar Mel.

 

sinto-me: Criativa
música: La La Song
publicado por in's às 16:54
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Quarta-feira, 15 de Julho de 2009

AUSENCIA -.-

Bem, eu vou estar fora, e ainda não sei se vou ter net por isso queria pedir desculpa se nao postar em breve...

Mas para compensar quando voltar vou ter Cap's novinhos em folha ^^

Beijinhos **

sinto-me: com fome
música: See you again - Miley
tags:
publicado por in's às 11:11
link do post | comentar | favorito
|

8º Cap. - A Feira

 

8º Cap. – A feira
 
                Sai do carro atrás da minha mãe e fui, numa tentativa falhada de correr, ter com o Liam ao outro carro. Kellan já tinha entrado com a mãe e Emma seguiu-me até ao irmão.
                - Liam, posso falar contigo? – Sussurrei-lhe, agarrando no seu braço com delicadeza. – Preciso de um favor teu.
                Arrastei-o para trás do carro, olhando de relance para Mike. Continuava uma criança, a tentar provocar-me com olhares.
                - Mel, quem se passa? O Billy já vai entrar… - Parecia um pouco stressado, mas com o quê? Aqui quem devia de estar stressada era eu.
                - Preciso quem me dês a mão enquanto passamos pelo meu ex-namorado falhado. Não te importas, pois não?
                - Nã-Não. Agora? – Esticou a mão, convidando-me para lhe dar a minha.
                Agarrei-lhe a mão sem excitar, sentia uma dor estranha na barriga e as maças do rosto a aquecerem. Esperava que a maquilhagem tapasse o vermelhão que começada a aparecer na minha cara. – Obrigada.
                Emma olhou para o irmão, depois para as nossas mãos, depois para mim e deu meia volta sobre os seus calcanhares.
                - Emma, anda cá. Não é isso… - Gritei enquanto ela andava em passos pequenos em direcção à entrada.
                Virou-se para mim e começou a andar na minha direcção mais rápido do que um simples andar.
                - Como vão as coisas meninos? Podiam ter dito mais cedo… - Emma falava tão rápido que só não tropeçava nas palavras por sorte.
                - Em, calma, nada disso. É um simples plano por causa do ex da Mel. Estás a ver aquele rapaz à entrada?
                - A sério? Aquele tão giro? Depois quero saber o que aconteceu mas agora vamos entrar que o Billy está a fazer sinal da banca das bifanas.
                Não me costumava distrair numa conversa, mas dei por mim desligada de tudo e a olhar para a mão de Liam perfeitamente encaixada na minha, como se fosse uma chave e uma fechadura. Olhei para Liam e ele corou. Também estava a olhar para mim e naquele momento senti a minha cabeça à volta.
                - Mel? Vamos? – Emma parecia impaciente.
                Avancei sem saber muito bem o que estava a fazer, a olhar para os pés. Liam fazia o mesmo. Senti a sua mão a ir para trás com uma força estranhamente exagerada. Ele largou-me.
                - O que fazes de mãos dadas com a minha miúda? – Não precisei de olhar para ver que era o Mike que estava a falar. – Então? O gato mordeu-te a língua? – Voltou a empurrar o Liam.
                O Liam recompôs-se e deu meia volta e entrou pela entrada ao lado do Mike, dando-lhe desprezo. Agarrou-me na cintura enquanto eu passava pela entrada à frente dele ao mesmo tempo que olhava para o Mike com fúria. – Não gosto daquele tipo é, hum, convencido demais. – Sussurrou ao meu ouvido. Sentia a sua respiração quente ao pé da minha orelha.
                - Obrigada Liam, acho que aqui dentro não há problemas. – As mãos dele já largavam a minha cintura devagar. – Vou com a Emma até à banca, acho que devias de ir ter com o Billy.
                - Até já. – Avançou sempre a olhar para trás, até chegar à banca das bifanas onde o Billy comia já a segunda bifana.
Comecei a “rastejar-me”, praticamente, até à pequena banca vermelha decorada com fitas brancas e corações rosas. Um pequeno palco com quatro cadeiras vermelhas e um balcão.
 Uma das cadeiras já estava ocupada pela Cloe, com um vestido justo vermelho e exageradamente decotado e debruçada para a frente para beijar um rapaz. As “cobras” estavam no balcão a recolher e contar senhas.
- Um pouco arrogante não? – Disse a Emma a apontar para a Cloe. – Queres ir primeiro ou preferes ficar no balcão?
- Contento-me com pouco. Vai lá tu. – Virei a tabuleta que dizia fechado/aberto e a fila de rapazes que estavam atrás do balcão da Cloe dividiu-se pelos dois balcões. A cobra júnior, que estava sentada ao meu lado na banca da cobra sénior, começou a mandar vir comigo assim do nada.
-Não penses que vens para aqui e roubas os nossos rapazes! Ainda por cima trazes companhia! Olha que a aposta não se aplica a ela! – Protestou a Sasha.
- Calma S, não vês que ela não vai ter ninguém quando trocar com a amiguinha? – A voz de Charlotte era ainda mais irritante que a sirene da escola quando o cartão não passa.
Consegui ignora-las, meti os fones nos ouvidos, liguei o ipod no máximo e meti o uma caixa em cima do balcão para guardar as senhas.
Meia hora passou rapidamente, fizemos uma pausa antes de trocarmos de lugar.
- Queres comer alguma coisa? – Perguntei à Emma. – Vou à banca das bifanas.
- Se não te importares pode ser uma. Eu vou à da limonada. Encontramo-nos na mesa do Billy.
Segui para a banca das bifanas, pedi e fui-me sentar ao lado do Liam, o Billy tinha ido ter com a minha mãe à banca de artesanato.
- Como está a correr as coisas? Ainda não te vi lá em cima. – Liam começou a meter conversa. Dei uma dentada grande na minha bifana.
- As coisas estão a correr bem, vamos agora trocar os turnos. – Respondeu a Emma acabada de chegar. Poisou duas limonadas em cima da mesa e pegou na sua bifana. – Trouxe-te uma limonada, não sabia se querias ou não por isso…
- Obrigada. – Dei um gole rápido na limonada e voltei a dar uma dentada na bifana. Acabei-a rapidamente e acabei com a limonada também. – Venho já, entretanto vou para a banca. Não te incomodes, come à vontade.
- Se precisares de mim acena que eu vou logo.
Levantei-me da mesa e fui ter com umas crianças que estavam a brincar um espaço livre de areia.

 

 

sinto-me: Com sono
música: Hoedown Throwdown - Miley Cyrus
publicado por in's às 10:56
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Domingo, 12 de Julho de 2009

7º Cap. – Uhahuh! És mesmo tu Mel?

 

7º Cap. – Uhahuh! És mesmo tu Mel?

 

                - Peço a vossa atenção. – Gritou a Emma da parte de cima das escadas. – Quero-vos apresentar a Mna. Melanie Lutz!! – Começou a imitar o barulho dos tambores.

                Era o que me faltava, já estava tão nervosa com a minha mudança por 24 horas, com a aposta e agora ainda tinha de me preocupar em saber andar direito em saltos altos (bah, ainda por cima saltos agulha).

                Comecei a descer as escadas devagar para não dar oportunidade ao Kellan para gozar comigo e com a minha possível (grande) queda. A Mãe olhava para mim com ar de quem está orgulhosa e eu gostava disso. Lembro-me de uma vez a minha mãe dizer que o único desejo que ela tinha para mim não era eu tornar-me medica ou tirar uns cem cursos, o único desejo da minha mãe era ver-me de saltos altos, toda elegante com um vestido que tapasse os joelhos, no dia-a-dia. É claro que a parte do vestido não iria acontecer no “dia-a-dia”. Quem andaria a passear na escola com um vestido que mais parecia para ir receber um Óscar? A expressão de Kellan era a mais engraçada das quarto, parecia que estava desiludido com a ideia de eu não cair ou aparecer borrada, mas também estava feliz por eu revelar um lado… mais feninino. Billy simplesmente observava e Liam (com um sorriso de orelha a orelha) parecia admirado com a mudança “Mas como se só me viu durante cinco minutos?”.

                - Bah, que caras. Até parece que a pessoa que está a descer estas escadas não é a melhor jogadora de futebol nesta casa. – Brinquei olhando fixamente para Kellan. – Tu e eu, depois de descalçar destes sapatos “mata-baratas-nos-cantos-da-casa” vamos jogar.

                A mãe começou a chorar. Subiu as escadas até chegar a mim e abraçou-me como se não me visse há mais de 5 anos.

                - Mãe, não consigo respirar! – Comecei-me a rir, estava mesmo a sufocar mas não conseguia evitar de me rir.

                - Desculpa, desculpa. Estás tão linda! Dá uma voltinha! – Okay, agora parecia sei lá o que, a dar voltas nas escadas e a fazer figuras desnecessárias à espera de cair. – Está ou não está linda a minha menina Liam?

                “Mãe? O que ‘tás a fazer?” e “Onde estão os buracos de avestruz quando eu me quero esconder?” eram os pensamentos que me ocorriam naquele momento.

                Liam começou a corar e desviou o olhar de mim virando os olhos para o chão e depois para a minha mãe. Parecia estar tão desconfortável como eu.

                - Sim. Está muito… bonita… - a cor vermelha na cara aumentou. Fintou-me com o olhar e voltou a olhar para o chão.

                Desci as escadas muito bem até, para a primeira vez. Conseguia ouvir os suaves passos da minha mãe à minha frente a tentar mostrar-me como andar e os passos pesados da Emma atrás de mim.

                Sai rapidamente de casa seguida por todos até ao carro do Kellan. Não lhe podia chamar bem de carro, um jipe da BMW.

                (In)felizmente, só era possível levar quatro pessoas no jipe, eu, a mãe, o Kellan e a Emma. O Billy e o Liam tiveram de ir no carro de Billy para dois, que até veio a calhar.

                A feira era num recinto aberto, amplo. “Ora bolas” pensei, “É no campo de futebol! E o desgraçado do Mike está á entrada”. Não podia ficar no jipe ou entrar por outro lado mas também não queria olhar para a cara daquele traidor.

                Alguma coisa tinha de fazer.

sinto-me: Cansada
música: Paramore - "Misery Business" Acoustic
publicado por in's às 21:03
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Quinta-feira, 2 de Julho de 2009

6º Cap. – Arranja-te!

6º Cap. - Arranja-te!

                
 
                 - Onde vais Mel, e quem é essa menina bonita? – Perguntou a minha mãe saindo da cozinha. Parei nas escadas e virei-me para lhe responder mas fui interrompida.
                - Mãh, vem cá! O Billy chegou e troce uns filhos de um amigo! – Gritou o Kellan da sala.
                - Ah, ok. Vais-te vestir? – Perguntou a minha mãe.
Limitei-me a acenar com a cabeça e continuei a andar até à porta do meu quarto. Abri a porta devagar e entrei acompanhada de Emma.
- Uhahu!! O teu quarto é enorme!! – Exclamou ela – E tens um toucador! Andei quase um ano a tentar convencer a minha mãe a dar-me o dela, mas nada…
- Pois, eu andei quase um ano a tentar convencer a minha mãe que o toucador não me fazia falta, mas nada…
Emma e eu começados a rir.
- Quem é aquele rapaz alto lá na sala? – Perguntou a Emma com as maças do rosto um pouco coradas.
- É giro, não é? – Perguntei a brincar. Ela abanou a cabeça a concordar. – É o meu irmão mais velho… tem 22 anos, bah. Parece uma criança. – Sorri.
- Humm, e tu tens que idade?
- Pois, eu só tenho 16, vou fazer 17 mais ou menos daqui a uns tres meses… e já agora, quem era aquele rapaz que vinha contigo?
- É o meu irmão gémeo, tem 19 anos. Gémeo mas eu sou 1 minuto mais velha. – disse ela piscando o olho.
                - Eu acho que o conheço, mas não tenho a certeza. É estranho…
                - Pois, é normal. O Liam é actor, já entrou em alguns filmes e series. Também já sei quem é o teu irmão. Vai fazer de Emmett no filme “Twilight”, não é?
                “Boa” pensei “Agora sou a única que ainda não acabou de ler a porcaria do livro”…
                - Sim sim, o Billy também entra ao que parece.
                Virei-me para o armário para tirar de lá um vestido vermelho e comprido – o vestido da feira – e voltei-me a virar para a Emma com o vestido na mão.
                - Por acaso foi o Billy que me contou do Kellan. Já tinha visto varias fotos dele de quando era modelo em LA. – Confessou.
                - Importas-te que me vá vestir? A minha mãe já deve estar a estranhar a nossa falta. – Ok, esta foi a desculpa mais esfarrapada que já dei para ir enfiar na casa de banho para não fazer perguntas sobre o gémeo.
                - É claro! Se precisares de alguma coisa chama – respondeu olhando para um poster que tinha atrás da porta dos RollingStones. – Já vi que gostas dos Rolling, o meu mano também gosta. Normalmente passa a vida a chatear-me com a música deles durantes as viagens longas.
                - Sim, tens grandes músicas. Podes vir aqui apertar o fecho atrás se faz favor? Não chego lá. – Pedi. Ficava simplesmente horrível com aquele vestido. Desta vez não me identificava com ele.
                - É claro, posso entrar? – Perguntou batendo à porta da casa de banho. – Uhahuh Mel! Não pareces tu! Tas tão gira!
                - Não me parece – Disse fazendo uma cara feia. – Continuo a gostar mais das minhas calças de
Ganga e da minha bola de futebol.
                - Deixa-me só apanhar-te o cabelo como deve de ser… Vais ver que a tua banca vai estar cheia – disse a rir.
                - Dispenso essa parte, mas obrigada. – Sorri e sai da casa de banho. Deitei-me na cama a olhar para o tecto. “Não acredito que vou fazer isto. Não acredito que vou fazer isto” pensei. Nunca me iria passar pela cabeça vestir um vestido vermelho, comprido e justo para andar a dar beijos a rapazes para ajudar as crianças. É claro que estas belíssimas ideias tinham de vir da minha mãe. Ela dizia que “tinha de libertar o meu lado feminino e apaixonado”. Como o poderia fazer numa feira?
                - Vamos lá para baixo? – Perguntou a Emma interrompendo os meus pensamentos.
                - Humm, espera. Falta a maquilhagem. – Levantei-me e fui-me sentar em frente do toucador. Abri uma das gavetas e lá de dentro tirei umas sobras para olhos ainda por usar.
 
____________________________________________
 
Só para enpatar tempo para a entrada :)
sinto-me: Com soninho
publicado por in's às 23:40
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Quarta-feira, 1 de Julho de 2009

5º Cap. - Visitas

 

5º Cap. – Visitas!

 

A presença de Billy já não era de estranhar, a minha mãe até andava com melhor humor desde a chegada dele ao Arizona. Como sempre, era eu que tinha de levantar o cu do sofá para ir abrir a porta, visto que Kellan não tinha a mínima intenção de o fazer. Como era hábito espreitei pelo pequeno e quadrado vidro da porta, Billy não vinha sozinho. Com ele vinha um rapaz e uma rapariga.

- Olá Billy, tudo bem?

- Olá Mel, troce umas pessoas para fazerem companhia espero que não te importes.

- Não de todo, eu vou só me ausentar durante uns minutos mas a minha mãe e o Kellan estão cá em casa… - tinha a certeza que a companhia de Kellan não seria a melhor, mas a culpa não era minha.

- Mel, este é o Liam e a Emma – Disse Billy apontando para os jovens atrás dele. Estes esboçaram um sorriso de simpatia. – São filhos de um amigo meu e vêm passar as férias da Páscoa comigo.

- Olá, sou a Melanie mas podem chamar-me Mel ou Melni. – Apresentei-me.

- Liam. – Disse o rapaz esticando a mão.

Encaminhei-os até à sala onde o meu querido e adorado irmão estava sentado a ver um programa estúpido sobre “Top Models” anorécticas. Quando se apercebeu que não era só eu e Billy que entravamos na sala virou-se para ver quem estava connosco.

                - Billy, como vai? Vejo que hoje vem bem acompanhado! – Cumprimentou Kellan olhando para a rapariga que sorria também a olhar para ele.

                - Ai Kellan Kellan, porta-te bem! – Disse Billy na brincadeira quando reparou que o Kellan olhava para a rapariga – Estes são o Liam e a Emma, filhos de um amigo meu, vão passar a Páscoa comigo.

                - Mel, não querias saber quem era o rapaz? – Perguntou o Kellan virando-se para mim a rir.

                - Kellan, agora não! – Disse embaraçada.

                - Que pena – Voltou a rir – É que ele está mesmo à tua frente.

                - O quê? O que se passa? – Perguntou o Liam baralhado. – Mel? Ou preferes Melni?

                - Melni é uma alcunha de escola, podes escolher uma das duas, não me importo. – Disse envergonhada tentando escapar à pergunta dele. – Eu tenho de ir lá para cima vestir-me…

                - Queres ajuda Mel? Eu também tenho de ir a essa banca, por isso… - Perguntou a Emma. Quando olhei para ela como deve de ser, vi que ela já tinha o “traje” vermelho da Banca vestido.

                - Eu não me dou muito bem com vestidos. – Disse a brincar, olhando para as calças de fato-de-treino. – Se não te importares iria gostar da tua ajuda.

                Emma esboçou um sorriso – É claro que não me importo, até podemos ficar a conhecer-nos melhor. – Voltou a sorrir.

                Retribui o sorriso e pedi para ela me seguir até ao meu quarto enquanto deixava Kellan com Billy e Liam na sala.

_________________________________________________________

Acho que foi o Cap mais pequeno até agora, novas personagens ^^,

sinto-me: Brilhante
música: We've Got It Goin' on - BSB
publicado por in's às 15:17
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 27 de Junho de 2009

4º Cap. - Aposta

 

Aqui fica mais um Cap. =D

 

 

Espero que gostem ;)

 

___________________________________________________________________

 
 
 
 
 
 
 
 
4º Cap. – Aposta
 
“ Ficamos ali deitados na clareira, um ao lado do outro de mãos dadas. A sua pele brilhava, como se fosse feita de diamantes, suave e macia, branca como a neve. A sua beleza era única, era prefeita. O seu cheiro, não tinha palavras para o descrever, tão doce, melhor que qualquer perfume. A sua voz era suave e aveludada. Não acreditava que algo pudesse existir até encontra-lo. Até encontrar o meu Edward.”
- Ó Bela Adormecida acorda que já são horas! – Gritou o Kellan à porta do meu quarto.
Já sabia que o meu sonho não iria durar muito tempo, Kellan tinha por habito acordar-me sempre nas melhores partes.
Alguém bateu à porta.
- Pode entrar. – Autorizei eu, meia ensonada.
A porta abriu-se e a minha mãe entrou, atrás dela estava o Kellan a espreitar com um ar de gozão.
- Então Mel, não é costume o Kellan acordar primeiro que tu, o que aconteceu?
- Desculpa mãe, fiquei a ler ate tarde… – Ela parecia espantada.
Levanto-te da cama, apanho o livro que tinha caído depois de eu adormecer e meto-o em cima da mesinha de cabeceira ao lado do despertador que mostrava, em letras grandes e vermelhas, que eram 11:30 da manha.
- 11:30? Já? Meu Deus, tenho de me despachar!
- Para que? – Perguntou o Kellan, ainda do lado de fora do meu quarto.
- Kellan, sai daqui para eu me vestir, ou já te esqueceste que hoje é o dia da Gala?
- Ahahah, calma Mel, só tens de te começar a preparar por volta das três, ou queres sujar o vestido todo? – A minha mãe falava com um brilho nos olhos, nem parecia que na noite anterior estivera tão mal.
- Mel?! Estou espantado, a minha irmã quer se preparar para a Gala? – Kellan quase que não conseguia falar no meio das gargalhadas. – Deixa-me adivinhar, aposta?
- Yap, com a “Miss Arrogante” da minha turma, a Cloe. – Respondi.
Tinha apostado qualquer coisa como humilha-la em frente a todo o secundário ou coisa do género. O que tinha de fazer? Essa era a pior parte, a minha mãe teve a brilhante ideia de organizar uma feira antes da Gala, em que havia balões, algodão doce, pipocas, carrosséis, banquinhas de limonada e de beijos, sim uma banca de beijos. O dinheiro iria para uma instituição de crianças perto do hospital de Arizona. Por brincadeira, a minha mãe inscreveu-me na banca de beijos e não era a única, também iria lá estar a Amy, a Cloe e o seu grupinho de cobras: Sasha e Charlotte, podemos dizer que a Cloe e o seu grupinho são as “Barbies” lá da escola mas em vez de serem as Barbies boas e sempre sorridentes eram arrogantes e anti-sociais. É claro que todos os rapazes ficavam babados quando elas passavam, não posso mentir dizendo que elas são feias. Só de pensar que iria voltar a ver a Amy, arrepiava-me toda, éramos como irmãs e ela foi a primeira a saber do inicio do meu namoro com o Mike. Kellan pareceu dar pela minha pausa de quase dois minutos.
- No que consiste a aposta? – Perguntou a mãe
- Não me digas que é a banca de beijos. – Troçou o Kellan
- Acertas-te na muche brinquei – Não gosto lá muito da ideia, mas o resultado final é como uma luz no fundo do túnel.
- Mel, filha, eu não gosto lá muito dessas coisas de apostas e vinganças, porque não fazes as pazes com a Cloe e voltam a ser amigas?
- Mãe, outra vez? Foi no infantário! Tinha menos de 5 anos! – Protestei.
 
***
O almoço passou rapidamente, bacalhau à Brás, sentei-me no sofá a fazer zapping. Mais uma vez tinha de ser o Kellan a interromper o meu momento de paz.
- Então maninha, estás pronta para a aposta? Ouvi dizer que um rapaz chegou aqui ao Arizona à pouco tempo.
- Kellan, não gozes comigo ‘tá? Já me chega os nervos… Mas já agora, quem é o rapaz?
sinto-me: cheia xD
música: Billy Jean - Michael Jachson
publicado por in's às 21:21
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Quinta-feira, 25 de Junho de 2009

3º Cap. Enjoos

3º Cap. – Enjoos

 

Corria em direcção da casa de banho de visitas enquanto pensava “Outra vez não! Outra vez não! Outra vez não!”. Sabia o que estava a acontecer, não era a primeira vez que acontecia e tudo indicava que também não iria ser a última.

Entrei na casa de banho e ajoelhei-me perto da minha mãe, com uma mãe tirei-lhe o cabelo da cada enquanto ela vomitava e chorava, com a outra mão livre fazia festas nas costas.

Kellan ficou à entrada da casa de banho, chocado, com Billy atrás de si a perguntar:

- Mel, o que se passa com a tua mãe? – Pela voz, Billy parecia chocado e ao mesmo tempo preocupado.

Quem não ficaria preocupado a ver uma mulher a vomitar sem parar, mesmo sem ter comido quase nada? Era uma mulher forte mas isto já estava a passar os limites.

 - Desde à uma semana para cá que anda sempre a vomitar, sente-se mal e tem tonturas. Já chegou a desmaiar uma vez. Ela recusa-se a ir ao médico, dizendo que é uma simples gastroenterite. – Respondi.

Aquilo não era normal, a minha mãe sempre teve a mania dos hospitais, tinha um arranhão, ela ia a correr à enfermaria comigo ao colo e depois mimava-me durante uma semana.

- Eu estou bem – disse ela, fez uma careta e voltou a vomitar. Assim que parou, levantou-se, lavou a boca, a cara, as mãos – Obrigada Mel.

 - Mãe, vamos ao hospital, já! – Ordenou o Kellan, pegou nas chaves do carro e gritou – MÃE, VAMOS?

 - Kellan, eu só precisso de um chá e de me deitar no sofá com o comando. Se me fizeres o chá e me deixares ficar como quero podes ir sair hoje. – Disse a minha mãe calmamente – Melhor, não tens horários de saída hoje.

- Mãe, isso é parvo, mas já que falas nisso… Vá deita-te e eu vou fazer-te um chá – respondeu Kellan com uma voz de brincadeira.

Segui-o até a cozinha, Billy ficou com a minha mãe na sala, não queria que ele se fosse embora.

- Kellan, vais mesmo sair?

- Não, estou demasiado cansado e preocupado para sair, vou só fazer-lhe a vontade. Aproveito e faço um chá para mim e para o Billy.

- Chá? Kellan? Essas palavras não combinam muito bem. – Brinquei com ele – Desde quando é que bebes chá?

- Desde que a Ash convenceu que ajudava a descansar o cérebro e que ajudava a decorar melhor as falas. Todas as noites depois das gravações juntávamos o elenco todo, bebíamos chá e contávamos história.

Pegou numa travessa, colocou três chávenas, encheu de chá e pegou com cuidado. Levou até a sala, poisou na mesa que estava em frente e sentou-se.

- Obrigada – respondeu a minha mãe.

- Vou para cima – Anunciei - boa noite a todos, se alguém precisar de alguma coisa acorde-me.

Ao subir as escadas reparei que não tinha sono nenhum, ouvia Kellan e Billy a falarem, ouvia os comentários da minha mãe ao programa da Oprah, ouvia a cadela do vizinho do lado a ladrar. Parecia tudo tão nítido, quando cheguei ao meu quarto, deitei-me na cama a olhar pela janela, estava uma noite estrelada.

Lembrei-me que tinha um livro por ler, saltei da cama, peguei no Crepúsculo e voltei-me a sentar-me na cama. Nunca pensei que a história fosse tão envolvente. Deixei-me levar pelas emoções, não ouvia nada, não sentia nada, canalizei todas as minhas atenções para aquela história de vampiros deslumbrante. Rapidamente encontrei o Emmett, brincalhão e animador, igualzinho ao Kellan.

Adormeci com o livro na mão e sonhei…

 

sinto-me: Esperançosa
música: SELFISH LOVE - PEDRO CAZANOVA feat. ANDREA
tags:
publicado por in's às 15:31
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Terça-feira, 23 de Junho de 2009

2º Cap. - Surpresa!!

Aqui vai o 2º Cap.

 

Novas personagens:

Kellan - Irmão de Melanie

Billy - Actor e vizinho

 

Nada de especial mas mesmo assim, espero que gostem ^^

 

_______________________________________

 

2º cap – Surpresa
 
Antes de descer as escadas decidi espreitar para a porta, não fosse ter uma surpresa desagradável. Não era de estranhar, espreitei tarde de mais, provavelmente essa visita já estava na sala ou na cozinha a elogiar as habilidades da minha mãe.
Desci as escadas com cuidado para não fazer barulho, entrei na cozinha receosa, mas sempre de cabeça levantada. Sentia as mãos a tremer mas não sabia porque.
- Vais demorar muito a vires cumprimentar-me, menina Melanie Lutz? – Perguntou uma voz familiar que vinha da sala.
Corri com toda a força que tinha e saltei para os braços do meu irmão Kellan, tinha voltado das filmagens de um filme chamado “Crepúsculo” e parecia que andavam todos fascinados com o livro, para ser sincera ainda não o tinha acabado de ler, estava esquecido em cima da secretaria ao lado de mais uns quantos que nunca tinha lido.
- Maninha, tas crescidinha! – Disse ele com um sorriso abrindo os braços para eu saltar para ele.
Fiz a vontade e saltei para ele, abracei-o com tanta força que era capaz de me magoar.
- Kellan! Meu deus, tantas saudades que eu tinha tuas! – Não consegui evitar e comecei a chorar.
- Eu também minha doce Mel, mas agora estás a chorar? Julgava-te uma rapariga forte! – Disse numa voz de brincadeira.
- Choro de alegria Kellan, mas tem-se passado tanto e foi tão difícil ficar longe de ti. – As lágrimas voltaram a inundar-me o rosto e desta vez a sensação não foi de alegria.
- Ouh minha “pequerrucha”, não chores pronto, agora já estou aqui. – A voz dele continuava forte mas suave, era como a brisa da primavera. – Queres ir lá para fora jogar um pouco futebol antes de jantar ou simplesmente falar?
- Não estás cansado?
- Nah, dormi bem no avião, deixa-me ir só dar mais um beijinho à Dona Annebelle. Arranja uma bola boa! – Gritou esta última frase quando já ia a caminho da cozinha.
Para ser sincera não estava com grande vontade para voltar a subir todas aquelas escadas, mas dar uns quantos pontapés na bola iria ajudar-me a esquecer aquele dia. Não que quisesse esquecer da surpresa do Kellan, a melhor coisa que aconteceu hoje, mas de tudo o resto, o Mike, a Amy, o jogo, tinha a cabeça cheia de coisas que não valiam a minha atenção.
Quando cheguei ao meu quarto sentei-me na cama a olhar para o livro e pensei “Tenho de o ler o mais rápido possível, se toda a gente gostou porque é que eu não vou gostar?”.
- Mel, tas a fazer serão ou vais descer com a bola? – Gritou o Kellan do jardim a olhar para a minha janela.
Peguei na bola que estava mesmo ao lado da porta e mandei-a pela janela.
- Assim está melhor?
-Sim, vá desce!! – Notava-se uma pinga de impaciência na voz dele, juntamente com a ansiedade.
- PARA A MESA LUTZ!! – Gritou a minha mãe da cozinha, gostava quando ela chama-nos assim, fazia sentir-me completa. O Kellan revirou os olhos ao ouvir aquela frase e disse algo do género “Acertamos contas depois do jantar” ou parecido.
Sentei-me à mesa e tentei fazer um ar alegre o que não correu lá muito bem, Kellan viu logo que estava a fingir e começou logo a contar um relato de um dia de gravações para ver se me distraia.
- Mel, durante as gravações, a kris teve de vir aqui ao Arizona para gravar uma cena, não a viste? Eu já estava a treinar para morder pescoços quando ela chegou. – Começou-se a rir da minha cara quando disse “morder pescoços”.
- Mas que raio Kellan, estamos à mesa, podias ter uma conversa mais civilizada? – a minha mãe parecia que vomitando, eu estava curiosa para saber aquela historia mas se voltasse a tocar naquele assunto durante o jantar bem podia dizer adeus às batatas fritas.
- É claro mãe, mas queres falar do quê? – Perguntou Kellan com gentileza, quase com voz de quem pedia desculpas.
 - Esta Sábado temos a Gala de Primavera e tu também vens Kellan.
- Mãe?! Tem mesmo de ser? Já tenho coisas combinadas para sábado. – Refilou o Kellan – E alias, tenho de começar a estudar o guião para o próximo filme da saga.
- Leva-me contigo Kellan! – Implorei a brincar – Ela vai-me obrigar a vestir um vestido!
Entre conversas e brincadeiras, alguém toca à campainha, como sempre tinha de se eu a levantar-me da mesa porque o Kellan nunca faz nada e a minha mãe estava a levantar a mesa para servir a sobremesa. A campainha voltou a tocar, desta vez fui forçada a levantar-me:
- Não estás à espera que seja eu a ir abrir pois não? Vá lá Mel – Mal tinha chegado já estava a dar-me ordens, odeava quando me fazia isto.
Olhei pelo vidro da porta e vi um homem de bigode, com uma cara familiar, chamei a minha mãe que quando viu quem era, abriu logo a porta e deu um abraço apertado.
- Billy! – Exclamou ela feliz – Há quantos anos?
- Ann! Já tinha saudades! Deixa-me adivinhar, esta pequena é a Melanie? – perguntou ele dirigindo-se a mim
- Pequena não, Melanie sim. – Respondi eu, com um sorriso simpático.
A minha mãe pareceu ignorar-me, tentei escapar-me para o quarto mas foi apenas uma tentativa sem sucesso.
- Mel, querida, leva o Billy até à cozinha que eu vou buscar mais uma caixa de gelado.
Acenei com a cabeça dando sinal à minha mãe e segui devagar até à cozinha, Billy vinha atrás de mim com um passo firme e para minha surpresa (mais uma) parecia que o Kellan já o conhecia.
- Olha o Emmett, já não te via há umas horitas – Disse Billy a rir.
- Billy?! Porque não me disseste que vinhas para aqui? Eu tinha oferecido boleia!
- Alguém me pode explicar o que se passa aqui? – Perguntei baralhada. “Emmett”? Mas do que estavam a falar? “Não te via há umas horas”?
No fundo do corredor ouvia os passos da minha mãe. Provavelmente ia entrar aqui toda eléctrica e não me ia dar uma explicação suficiente para eu entender o que raio estava a passar na minha cozinha.
- Mel, este é o Billy, mora à nossa frente, é actor, conhece-te desde os dois anos mas não te deves lembrar muito bem. Veio agora de Forks comigo, faz de Charlie, pai de Bella, no filme.
- Que belo resumo Kellan. Desculpa Mel, esqueci-me que da última vez que te vi andavas de fraldas e a correr pela minha casa com uns óculos de sol em forma de corações – Disse Billy a rir.
Parecia estranho mas tinha uma memória estranha de uma casa de paredes amarelas, e de uma menina de fraldas, t-shirt do tweety e uns óculos de sol em forma de corações agarrada à saia da mãe. Comecei-me a rir daquela imagem.
- Tenho uma vaga ideia, também me lembro de uma t-shirt do tweety – Disse rindo.
- Ahah, dessa t-shirt é que eu já não me lembrava. Ofereci-te quando fizeste um ano, acho.
- Mel, a mãe? – Perguntou o Kellan preocupado – Ouvi os passos dela à uns minutos. Onde foi ela?
 
 

 

sinto-me: cheia :P
música: The Unforgiven: Metallica 1991
publicado por in's às 14:02
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|

-->Sobre mim

-->pesquisar

 

-->Setembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


-->posts recentes

--> 10º Cap. – Desculpa

--> 9º Cap. – Plano infalível

--> AUSENCIA -.-

--> 8º Cap. - A Feira

--> 7º Cap. – Uhahuh! És mesm...

--> 6º Cap. – Arranja-te!

--> 5º Cap. - Visitas

--> 4º Cap. - Aposta

--> 3º Cap. Enjoos

--> 2º Cap. - Surpresa!!

-->arquivos

--> Setembro 2009

--> Agosto 2009

--> Julho 2009

--> Junho 2009

-->tags

--> todas as tags

blogs SAPO

-->subscrever feeds